Contaminação em piscinas de condomínios: como resolver esse problema?

Como minimizar a contaminação em piscinas de condomínios? 🏊🏼

Você sabia que as águas de piscinas podem representar um risco para sua saúde?

Com o aumento das temperaturas, é comum constatar uma demanda acentuada pelo uso piscinas coletivas. Embora, sejam sinônimos de lazer e entretenimento, também podem estampar alguns perigos, pois a água pode ser o veículo para a transmissão de doenças.

Sendo assim, a adoção de estratégias que minimizem as contaminações em piscinas é fundamental para garantir a integridade dos indivíduos que usufruem de espaços recreacionais coletivos.

O tratamento, limpeza e manutenção, portanto, devem ser efetivados sob duas perspectivas – física (remoção de sujeira visível) e química (adição de produtos que combatam microrganismos). A qualidade da água também precisa atender aos padrões físico-químicos e microbiológicos, conforme exposto abaixo:

Qualidade físico-química:
✔️ pH
✔️ Concentração de cloro residual livre
✔️ Avaliação da limpidez da água
✔️ Avaliação da superfície da água e do fundo do tanque

Qualidade microbiológica
✔️ Coliforme – totais e termotolerantes
✔️ Staphilococcus aureus
✔️ Bactérias heterotróficas

Por meio disso, fique atento! Busque informações sobre a qualidade da água da piscina do seu condomínio e adote um monitoramento periódico da mesma.

Contaminação em piscinas de condomínios: como resolver esse problema?
Precisa de ajuda? WhatsApp